fevereiro 10, 2017

Jerry Adriani faz duas apresentações em Salvador

Músico se apresenta em 10 e 11 de março, no Café-Teatro Rubi.
Show compila os melhores momentos da carreira do cantor.

Jerry Adriani  (Foto: Rodrigo Meneghello/Divulgação)

O astro da Jovem Guarda Jerry Adriani se apresenta nos dias 10 e 11 de março, no Café-Teatro Rubi, localizado no Sheraton da Bahia Hotel, bairro do Campo Grande, em Salvador. O show "Outro e Outras" faz uma viagem musical por algumas das fases mais importantes da carreira do artista.
O espetáculo começa com sucessos marcantes do início de sua carreira, nos anos de 1960, e segue com as influências de Jerry, a começar pelo rock n' roll  e por Elvis Presley, cantor que modificou o comportamento dos jovens de todo o planeta.

A ligação de Jerry com a música italiana também não poderia ficar de fora do show. No roteiro, ele faz uma forte interpretação de “Monte Castelo”, em português e italiano, canção que teve registro no disco “Forza Sempre”, em que Jerry interpreta, em italiabno, sucessos de Renato Russo.

Jerry mostra ainda seu ecletismo interpretando desde clássicos da música americana, como “Georgia on My Mind”, de Ray Charles, a músicas brasileiras consagradas, como “Lembra de Mim”, de Ivan Lins e Vítor Martins, ou ainda um clássico do tango, como “Uno”, do imortal Carlos Gardel. Um momento marcante é “Medo da Chuva”, música que o amigo Raul Seixas fez para Jerry cantar, e que ganha um arranjo mais rock n' roll. A última parte do show é uma homenagem à Jovem Guarda.


O show está marcado para começar às 20h30. Os ingressos custam R$ 120 e podem ser adquiridos pela internet, na bilheteria do local (de segunda a sábado, das 14h às 19h, e em dias de apresentação até às 20h30) ou através do Call Center (71) 2626-0032.

SERVIÇO:
Jerry Adriani – Outro e Outras
Data: 10 e 11 de março (sexta e sábado)
Local: Café-Teatro Rubi (Sheraton da Bahia Hotel, Campo Grande - Salvador)
Horário: 20h30
Ingresso: R$ 120 (podem ser adquiridos pela internet, na bilheteria do local (de segunda a sábado, das 14h às 19h, e em dias de apresentação até às 20h30) ou através do Call Center (71) 2626-0032






Fonte:g1.globo.com

janeiro 20, 2017

Ídolos da Jovem Guarda inauguram projeto “Jovens Tardes” no Theatro Net Rio

Moacyr Franco

Em 1965, Roberto, Erasmo e Wanderléa davam início a um projeto inovador e que mexeria com os ânimos da juventude daquela época. Entrava no ar o programa Jovem Guarda, na TV Record, reunindo talentos do movimento da Jovem Guarda, apresentado ao vivo de São Paulo. Rapidamente o programa se tornou uma febre, explodindo na audiência, lançando moda e consagrando nossos reis e rainhas do iê iê iê. Mais de 50 anos depois e embalados pelo sucesso da peça “60 Década de Arromba – Doc. Musical”, a produtora Brain + lança o projeto “Jovens Tardes”, no Theatro Net Rio. Durante todo o verão, grandes nomes da nossa MPB marcam presença sempre às 16h para relembrar sucessos e conquistar a juventude de hoje. Moacyr Franco, Ângela Maria, Agnaldo Timóteo, Marthinha e Wanderley Cardoso integram o time de cantores da primeira edição do projeto.

Moacyr Franco estreia projeto dia 25 de janeiro

O cantor, ator, escritor, humorista e diretor Moacyr Franco será o primeiro a subir no palco do Theatro Net Rio para inaugurar o projeto Jovens Tardes, dia 25, quarta-feira, às 16h.

Nesse show ele leva toda sua versatilidade para os fãs que o acompanham durante seus mais de 50 anos de carreira, em duas horas de apresentação, com mais de 20 canções que embalaram e emocionam várias gerações.

A segunda atração a se apresentar no dia 1º de fevereiro será a cantora Ângela Maria.Em forma física e vocal plena, a cantora que é considerada por muitos a Rainha da Música Popular Brasileira, continua com sua vida artística totalmente ativa. Em 2015 lançou o disco “Angela à vontade em voz e violão” e se apresentou em mais de 30 cidades brasileiras levando este projeto.  Em 2016 lançará pela gravadora Biscoito Fino um novo álbum dedicado às canções de Roberto e Erasmo.

O dia 8 de fevereiro será dedicado a Agnaldo Timóteo. No ano em que comemora cinco décadas de trajetória artística, Agnaldo lança pelo selo do Canal Brasil o CD e DVD, “50 Anos na Estrada Asfaltada”, gravado ao vivo no teatro São Pedro (SP), com as participações especiais de Angela Maria, Alcione, Cauby Peixoto, Claudette Soares e Martinha.

Dona de uma voz personalíssima, facilmente identificável e um enorme talento de compositora, Martinha será a atração no dia 15 de fevereiro, às 16h. Apelidada por Roberto Carlos como “Queijinho de Minas”, a cantora relembrará sucessos como “Barra Limpa”, “Eu te amo mesmo assim”, “Eu daria minha vida”, entre muitos outros.

Para encerrar a primeira edição do projeto “Jovens Tardes”, o Theatro Net Rio receberá no dia 22 de fevereiro o cantor Wanderley Cardoso. Em seu show, canções que o consagraram como “Preste Atenção”, “Abraça-me Forte”, “Meu Amor Brigou Comigo”, “Te Esperarei”, “Promessas”, “Fale Baixinho”, entre outros.

SERVIÇO:

JOVENS TARDES

Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel. Rua Siqueira Campos, 143 – Sobreloja – Copacabana. (Shopping Cidade Copacabana).

Convidados:

25 de janeiro – Moacyr Franco

1º de fevereiro – Angela Maria

8 de fevereiro – Agnaldo Timóteo

15 de fevereiro – Marthinha

22 de fevereiro – Wanderley Cardoso

Horário: 16h.

Classificação: 12 anos.

Duração: 60 minutos.

Ingresso: R$ 80,00 (plateia, frisas e balcão) e R$ 40,00 (Balcão com visão parcial).

Direito à meia entrada e descontos :  http://www.theatronetrio.com.br/pt-br/bilheteria.html

Capacidade do Teatro: 622 lugares.

Telefone do teatro: 21 2147 8060 / 2148 8060

Site: www.theatronetrio.com.br

Vendas pela internet:  www.ingressorapido.com.br ou pelo aplicativo do Ingresso Rápido.
Vendas pelo telefone: Informações e compra Ingresso Rápido – (11) 4003 – 1212
Atendimento pós venda Ingresso Rápido – (11) 4003 – 2051
Informações sobre ponto de venda da Ingresso Rápido de outros eventos fora do Theatro Net Rio, somente pelo telefone – (11) 4003 – 1212
Horário de funcionamento – Todos os dias das 10h às 18h.

Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.

Reservas para grupos: Beatriz Barcelos – beatrizbarcelos@brainmais.com

Somente pelo telefone: (21) 96629 – 0012
Horário de atendimento – De Segunda a Sábado de 14h às 21h.

Formas de pagamento: Aceitamos todos os cartões de crédito, débito, vale cultura nas bandeiras (Alelo & Ticket) e dinheiro. Não aceitamos cheques.

Acessibilidade

Estacionamento no Shopping, entrada pela Rua Figueiredo Magalhães, 598.

dezembro 01, 2016

Em 30/11/1955: Nasce Billy Idol

William Albert Michael Broad nasceu em Middlesex, Inglaterra, em 30 de novembro de 1955.

Idol nasceu em Stanmore, Middlesex, Inglaterra, como William Albert Michael Broad. O nome de Billy Idol foi inspirado pela descrição de um professor como "idle" (vadio). Em uma entrevista em 21 de novembro de 1983, Idol também cita que o nome "foi uma brincadeira, mas também parte da velha escola inglesa de rock. Billy Fury e tudo isso. Foi uma 'coisa dupla' não apenas um puxão para pessoas tipo superestrelas. Foi tudo meio que — todo mundo estava fazendo isso também — foi divertido, sabe?" Ele continua a dizer que o nome "realmente nem sempre sai pela culatra, somente com as pessoas estúpidas que levam a sério".

Em 1958, quando Idol tinha dois anos, seus pais se mudaram para Patchogue, em Long Island, Nova Iorque, Estados Unidos. A família voltou para o Reino Unido, quatro anos depois com Idol e uma jovem criança, Jane (que havia nascido nos Estados Unidos), estabelecendo-se em Dorking, Surrey. Em 1971 a família se mudou para Bromley, sudeste de Londres, onde ele estudou na Ravensbourne School for Boys. Idol (em vez William Broad) também estudou na Worthing High School for Boys, em West Sussex. Em outubro de 1975, foi para a Universidade de Sussex, para perseguir um grau de Inglês e viver no campus (East Slope) mas saiu depois de um ano (1976). Ele então passou a participar do Contingente Bromley, fãs dos Sex Pistols, um grupo que viajou para a cidade quando a banda tocava.

Iniciou sua carreira musical como integrante do Bromley Contingent, um grupo de seguidores do Sex Pistols, que incluía membros do The Clash e Siouxsie and the Banshees. Billy uniu-se a Tony James (que depois foi para o Sigue Sigue Sputnik e Sisters of Mercy), ambos faziam parte da primeira formação da lendária e famosa banda punk Chelsea, logo depois deixaram o Chelsea e formaram a banda Generation X, cujo nome veio de um livro sobre a Cultura Rock da Juventude dos Anos 60. O Generation X que além do próprio Idol na guitarra e vocal, trazia Tony James no baixo e John Towe na bateria, estourou em Londres em 1979.

Após três discos lançados, o grupo acaba em 1980 e já no ano seguinte, Billy Idol resolve investir em uma carreira solo. Mudou-se em definitivo para os Estados Unidos e ao lado do respeitadíssimo guitarrista Steve Stevens, lançou grandes hits como "Dancing With Myself", "Mony Mony", "White Wedding", "Rebel Yell", "Eyes Without a Face", "Flesh For Fantasy", "Sweet Sixteen", "Don't Need a Gun" e "Cradle Of Love".






Fonte:whiplash.net

novembro 28, 2016

Aos 70, Wanderléa vai virar musical pelos 50 anos de sua carreira

Créditos: Robert Schwenck

Prepare-se para voltar aos anos 60, com muito amor! O musical “60! Década de Arromba”, que estreia nesta terça-feira noTheatro Net Rio, vai trazer como a grande estrela da noite a própria Wanderléa, no papel dela mesma. Esta será a primeira vez que a cantora participa de um musical. Com direção de Frederico Reder e roteiro e pesquisa de Marcos Nauer, o espetáculo combina ferramentas de documentário como fotos, vídeos e depoimentos reais, com cenas, textos e canções apresentadas ao vivo por 24 atores/cantores/bailarinos.

“Fiquei muito emocionada em receber esta homenagem justamente quando a Jovem Guarda completa 50 anos. Ainda mais estreando neste palco, onde fiz shows memoráveis como ‘Maravilha’ e ‘Feito Gente’. Nunca havia imaginado integrar um grande musical”, diz Wanderléa, a única personagem real em cena.

O musical começa contando a chegada do rádio no Brasil, seguindo então para a era da TV, com mais de cem canções de nomes como Roberto e Erasmo, Dalva de Oliveira, Cauby Peixoto, Elvis Presley, Beatles, Tony e Celly Campello, Bibi Ferreira, Edith Piaf, Tom e Vinicius, Milton Nascimento, Gil e Caetano, Maysa e Geraldo Vandré.

*

Ícone da Jovem Guarda, Wanderléa foi a primeira mulher a posar nua grávida para uma foto e foi pioneira no uso das minissaias e do silicone.

“60! Década de Arromba”
Onde: Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel. Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana.                                             Ingresso: www.theatronetrio.com.br/pt-br/bilheteria.html
Estreia: 29 de novembro – Quinta e Sexta às 21h / Sábado às 18h30 e 21h30 / Domingo às 20h




Fonte:glamurama.uol.com.br

outubro 22, 2016

Roberto Carlos decidiu por Gabriel Leone em filme da Jovem Guarda

Gabriel Leone foi aprovado por Roberto Carlos Foto: Marcos Ramos / Globo - Gente Boa

Gabriel Leone para interpretá-lo no filme sobre a vida de Erasmo Carlos que quer repetir a dose. O Rei decidiu pelo nome do jovem ator para vivê-lo no filme que ele vai produzir sobre a Jovem Guarda.

Roberto quer contar a história do movimento musical surgido na década de 60, que teve ele mesmo como o principal nome.

Não se trata de uma biografia — a história do Rei, na verdade, desde sua infância até os dias de hoje, será contada num livro que já está sendo, finalmente, preparado. No filme, o tema principal será a Jovem Guarda, exatamente quando Roberto trocou o repertório mais “banquinho e violão” para o rock and rol.

Quando acontecia a escalação do elenco para o filme sobre Erasmo Carlos, Roberto exigiu um ator bonito para vivê-lo no cinema. A produção recomendou que ele visse Gabriel Leone como Miguel em “Velho Chico”. Roberto viu e não se opôs à escolha.






Fonte:extra.globo.com

setembro 03, 2016

Estrela da Jovem Guarda, Evinha lança álbum 'Um Piano, Uma Voz'

Estrela da Jovem Guarda com o Trio Ternura, moradora de Paris há mais de três décadas, a cantora Evinha lança o álbum 'Um Piano, Uma Voz' com o marido, o pianista Gérard Gambus (Foto: Divulgação)

Uma intimidade tão grande que abriu as portas de casa e levou o casal para o palco. Foi assim que a cantora Evinha  concebeu o álbum Um Piano Uma Voz (selo Des Arts) ao lado do marido, o pianista francês Gérard Gambus.

“O Gérard e eu somos parceiros na música e na vida. Sempre houve um respeito mútuo na maneira de trabalharmos. Quando as opiniões divergem, procuramos analisar o porquê da divergência.  É um momento de grande concentração e de comunhão perfeita entre nós”, explica ela.

O casal, que mora em Paris há mais de quatro décadas, vem ao Brasil duas vezes por ano visitar a família de Evinha. Mas, além de matar as saudades, sempre aproveitam a oportunidade para fazer shows para o público brasileiro. Foi justamente numa dessas turnês em São Paulo de voz e piano que nasceu esse disco, a partir da observação da reação do público ao som vindo do palco.

Ideia lançada e aprovada, Evinha e Gambus começaram a pensar bem no repertório, afinal é o primeiro disco dela em 17 anos. Juntos, acharam que era melhor reunir músicas inéditas a antigos sucessos de Evinha, da época que era estrela da Jovem Guarda. Assim, do final dos anos 1960 e início dos 1970, surgem Teletema, Casaco Marrom e  Cantiga por Luciana, com a qual Evinha ficou em primeiro lugar no IV Festival Internacional da Canção, em 1969.

Memória
“Sempre gravo músicas que me tocam profundamente de uma maneira ou de outra. Essas ficarão pra sempre em meu coração por terem sido as primeiras gravações em minha carreira solo”, explica Evinha.

Faltava selecionar as inéditas. O casal, então, fez o que devia: apelou aos amigos compositores. Assim, Um Piano, Uma Voz traz composições dos experientes Ivan Lins, Antônio Adolfo, Tibério Gaspar, Renato Corrêa, Guarabyra e Carlos Colla.

Além deles, Gambus compõe um instrumental (Em Cima da Hora) e com Evinha ele fez uma versão para uma obra do mestre alemão  Johann Sebastian Bach (Caminho da Razão). “Quando entrei em contato com os compositores solicitando músicas inéditas, para minha agradável surpresa, todos me presentearam com músicas lindas”, diz a cantora.

Nascida numa família de artistas, que rendeu não só o Trio Esperança como os Golden Boys, Evinha começou a cantar ainda criança, aos 8 anos. “Para nós, cantar era muito divertido, tudo era uma brincadeira, apesar de levarmos muito a sério nos programas da Jovem Guarda. Percorrer o Brasil fazendo shows era apenas o máximo! Recebíamos, a cada vez, um enorme carinho dos fãs. Essa era a melhor recompensa! Hoje em dia, me dou conta da importância de ter participado desse grande movimento”.

Hoje, apesar de viver na Europa, Evinha reúne o Trio Esperança para turnês pelo Velho  Continente. Em sua terceira formação, o grupo é composto por Regina, Mariza e Evinha. “Nosso repertório é totalmente diferente do que fazíamos quando éramos jovens. Na formação atual, percorremos  o mundo divulgando a música brasileira por onde passamos, acompanhadas ao piano por Gérard”, diz.






Fonte:correio24horas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Blogger Templates